Donald Trump diz ao Banco Mundial que não empreste dinheiro à China
O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, censurou na sexta-feira à noite o Banco Mundial por seus empréstimos à China.

P U B L I C I D A D E

P U B L I C I D A D E

“Por que o Banco Mundial empresta dinheiro à China? Isso é possível? A China tem muito dinheiro e, se não o tem, deve criar. PAREM!”, escreveu Trump no Twitter.

“Os empréstimos do Banco Mundial à China foram drasticamente reduzidos e continuarão a ser reduzidos conforme acordado com todos os nossos accionistas, incluindo os Estados Unidos”, reagiu a instituição financeira em comunicado, avançando que se está a eliminar os empréstimos à medida que os países ficam mais ricos.

Trump reiterou, assim, uma posição que defende há muito tempo em seu governo e que é compartilhada por David Malpass, actual presidente do Banco Mundial (BM), ex-funcionário do Tesouro americano e apoiante de Trump.

O tuíte do republicano também é uma extensão da mensagem de seu secretário do Tesouro, Steven Mnuchin, que disse na quinta-feira em uma comissão da Câmara de Representantes que o governo dos Estados Unidos havia expressado sua “objecção” ao programa plurianual de empréstimos e projectos do BM na China.

O programa foi aprovado na quinta-feira. Prevê uma redução do montante de empréstimos à China e também se dispõe a ser mais selectivo durante o período 2020-2025.

“Isso reflecte a evolução do nosso relacionamento com a China”, afirmou Martin Raiser, director do Banco na China, em comunicado divulgado na quinta-feira. “Nosso compromisso será cada vez mais selectivo”.

Mas essa redução não é suficiente para Washington, cujo argumento é simples: a segunda economia mundial é rica o suficiente para se financiar e não depende de empréstimos do Banco Mundial, que deveriam fornecer recursos financeiros aos países mais pobres.

Fonte: Correio da Kianda

REAÇÕES

COMENTÁRIOS