Cerca de 10% das trabalhadoras de sexo vivem com VIH/Sida
Os dados foram revelados pelo secretário de Estado da saúde, José Manuel Vieira Dias da Cunha, na abertura do workshop “Apresentação da Estratégia Nacional de Prevenção, Cuidados e Tratamento das ITS/VIH-SIDA para Populações Chaves e Vulneráveis em Angola, 2018-2022”.

Segundo o responsável, pelo menos 10,5 porcento das mulheres trabalhadoras de sexo das províncias de Luanda, Benguela, Cabinda, Cunene e Bié vivem com HV/Sida e, 2,6 por cento deste grupo vivem com sífilis activa, de acordo com dados do Inquérito Integrados comportamentais e Biológicos (IBBS). 

De acordo ainda os resultados preliminares do inquérito, mostram uma prevalência de 7,8 por cento entre as trabalhadoras do sexo e de 2,4 por cento entre os homens que fazem sexo com homens.

De salientar que, a cada dia que passa, tem se registrado um aumento considerável da prostituição em Angola. Segundo uma matéria da Angola-Online, publicado no ano passado, aponta que o município de Viana, em Luanda, tem se tornado em cartão portal da prostituição na capital.

Angop e Redacção

REAÇÕES

COMENTÁRIOS