Caso 500 milhões: Juiz irrita-se pela ausência de Valter Filipe
A ausência de Valter Filipe na audiência de discussão e julgamento na Câmara Criminal do Tribunal Supremo, no processo de que é arguido, irritou segunda-feira, o juiz conselheiro do Tribunal Supremo que preside a sessão.

PUBLICIDADE

PUBLICIDADE

O magistrado judicial João da Cruz Pitra questionou, no início da sessão, o advogado do ex-governador do banco central Sérgio Raimundo em função da ausência na sala de audiência do principal réu que já na penúltima sessão, no período da tarde, havia abandonado o tribunal sem notificar os juízes da causa.

Sérgio Raimundo justificou a ausência do seu constituinte com um alegado mal-estar de Valter Filipe que responde pelos crimes de burla por defraudação, branqueamento de capitais e de peculato no processo de transferência ilegal de 500 milhões de dólares do BNA para uma conta em Londres.

Na base do processo está uma transferência ilegal de 500 milhões de dólares do BNA para uma conta fiduciária da Perfectbit no banco HSBC de Londres (Inglaterra). A transferência era uma espécie de pagamento avançado para uma empresa criada pelos arguidos, a fim de montar uma operação de financiamento para Angola, no valor de 30 mil milhões de euros.

Álvaro Pereira, ex-subdirector do Gabinete Jurídico do BNA, arrolado no processo como declarante, que admitiu ter entrado no banco central em 2016 a convite de Valter Filipe que conhece há mais de duas décadas, disse ter participado em reuniões que culminaram com a assinatura do acordo de gestão de activos entre o BNA e a Mais Financial Service.

Fonte: TPAOnline

REAÇÕES

COMENTÁRIOS