Caso 500 milhões: Archer Mangueira aconselhou João Lourenço a cancelar a transferência
Archer Mangueira que foi ouvido na manhã de hoje pelos juízes do TS, afirmou ter sido ele a aconselhar João Lourenço a suspender a transferência.

P U B L I C I D A D E

P U B L I C I D A D E

"Não havia, de facto, elementos da garantia e não tivemos evidencias de que os documentos que os proponentes apresentavam eram verdadeiros", disse Archer Mangueira, acrescentando que os documentos que foram apresentados em Londres não eram suficientes para prosseguir com a operação.

O ex-ministro garantiu que a transferencia dos 500 milhões de USD, não teve despacho presidencial nem da Lei dos contratos públicos.

Esperava-se que nesta sessão fossem abordadas novidades sobre as respostas do questionário remetido ao ex-presidente da república, mas tal n-ao aconteceu.

É essencial saber se foi José Eduardo, que orientou, e como fez, o ex-governador do Banco Central na altura da transferência dos valores para um banco em Londres.

Para Sérgio Raimundo, as respostas de José Eduardo servirão para confirmar aquilo que o seu constituinte diz que aconteceu. Por exemplo, que executou ordens do titular do Poder Executivo quando autorizou a saída dos valores para o Credit Suisse, em Londres.

O julgamento de maior audiência em Angola regressou hoje as salas do Tribunal Supremo, depois de uma paragem no período das festas de natal e ano novo.

Fonte: NJ

REAÇÕES

COMENTÁRIOS