Ano difícil para o veterano do MPLA
O veterano do MPLA, com várias passagens pelo governo de José Eduardo dos Santos, Kundi Paihama, está a enfrentar um ano difícil. Depois do BNA afastar a administração do banco BANC, banco onde ele é o maior acionista, o general de 73 anos, foi ontem exonerado do cargo de governador da província de Cunene.

Em substituição de António Didalelwa, falecido em 2016, vítima de doença, Kundi Paihama, liderou a província de Cunene, depois de exercer as funções de governador provincial do Huambo.

Segunda à fonte da Angola-Online, considera que o general do exército é uma figura controversa devido ao seu alegado envolvimento em casos de corrupção, desvios de fundos e má gestão.

E de acordo com um dos moradores da província do Cunene, revela ao nosso portal que, a província continua a viver inúmeras dificuldades e que a passagem de Kundi Paihama, não trouxe nada de novo. 

“A província continua parada no tempo, aqui não temos quase nada, falta-nos tudo...temos duas universidades que funcionam na mesma estrutura, com menos de 4 cursos. Aqui há carência de tudo, principalmente de infraestruturas”, contou. 

Depois de ser exonerado ontem, pelo Presidente da República, fica clara a ideia de que João Lourenço pretende licenciar Kundi Paihama à reforma.

Redacção

REAÇÕES

COMENTÁRIOS