Angolano é condenado a 18 anos de prisão em Portugal
O Tribunal de Sintra condenou o cidadão angolano Ângelo João, de 25 anos, estudante bolseiro da Sonangol, em Portugal, a dezoito anos de prisão efectiva, por falsificação, burla, receptação e branqueamento de capitais.

O estudante de Urbanismo e Ordenamento do Território, segundo fonte da Angola-Online, foi o líder de uma rede composta por 39 elementos, que “furtava cheques e vales postais.” 

No mesmo processo foram condenados Carlos Barreto e André António,  a 15 e 13 anos. Enquanto 15 foram absolvidos. 

Fonte: CM

REAÇÕES

COMENTÁRIOS