Angola precisa saber da verdade, revela dirigente do MPLA
Lopo do Nascimento, um dos históricos dirigentes do MPLA e percursor da luta de libertação nacional, revelou ontem, durante apresentação da homenagem de Lúcio Lara, que existem coisas que foram contadas, mas “não foi assim que as coisas se passaram”.
Lopo do Nascimento

Segundo Lopo do Nascimento, durante a conferência denominada “Lúcio Lara – Trajectória de um combatente”, realizado no Memorial António Agostinho Neto, em Luanda, agradeceu à Associação Tchiweka de Documentação (ATD), organizadora do evento, apelando a sua continuidade com os trabalhos que têm feitos. 

“Gostaria de pedir à ATD que continue, apesar das dificuldades com que se debatem, de modo a que possamos introduzir a verdade histórica de algumas áreas da história de Angola” revelou. 

Angola-Online sabe que, apesar de já ter abandonado a política activa, Lopo do Nascimento continua a suscitar um grande interesse da opinião pública. De acordo com o antigo primeiro-ministro de Angola nos anos de 1975, considera que ter chegado o momento de se contar “a verdade histórica de algumas áreas da história de Angola”. 

“Porque há muita coisa que foi dita que correspondeu a uma época que era preciso ser dita, mas que não é a verdade verdadeira. Eu faço um apelo à ATD, que faça esse percurso de contar a verdade histórica, porque há coisas que foram contadas que, realmente, não foi assim que as coisas se passaram”, reiterou.

A A.T.D. é uma associação sem fins lucrativos que tem como principal objectivo a promoção e divulgação de actividades que contribuam para preservar a memória e aprofundar o conhecimento sobre a luta de libertação e soberania nacional dos povos africanos, da ex CONCP e mais particularmente de Angola.

OPais e Redacção

REAÇÕES

COMENTÁRIOS