AADIC considera publicidade da Unitel em ofensivo
A Associação Angolana dos Direitos do Consumidor (AADIC) alertou a Unitel, devido o conteúdo ofensivo da sua mais recente campanha publicitária, onde aparece duas crianças em conversa aparentemente intimista e amoroso.

O director adjunto do Gabinete Jurídico, Mediação e Resolução de Conflitos da Associação, Jordan Coelho, fundamentou, em um comentário publicado nas redes socias sobre o assunto, considera ser “uma premência e deve ser tratado com a devida medida”.

“Em primeira instância houve falta de sisudez por parte da agência de publicidade, a televisão que veiculou a propaganda, e da empresa dona da propaganda (Unitel)”, acrescentando que “não é apenas a linguagem de galanteio entre os bebés, entrementes o artigo 19 nº1 e 2 da Lei 9/17 de 13 de Março”.

Citando o que diz a lei, “os menores só podem participar na propaganda como intervenientes principais quando nas mensagens se verifiquem existir um nexo elementar entre entre a menoridade e o conteúdo do produto ou serviço, fim de citação”.  

O especialista em direito do consumidor salientou que, ainda que não houvesse uma linguagem de índole sedutora, ainda assim seria um abuso.

“Por exemplo, elas, as crianças podem participar em propagandas ou publicidades que façam referência a campanha de vacinação, Centro infantil, creche, Colégio, alimentos, etc., desde que os conteúdos tenham relação com a menoridade”, escreveu. 

No entanto, contactado pela Angola-Online, Jordan Coelho, adiantou que a associação vai nos próximos dias abrir uma acção judicial contra a empresa dona da propaganda e avança que em matérias do género a PGR pode sim notificar a Unitel por se tratar de uma denúncia pública.

REAÇÕES

COMENTÁRIOS