Tabaco mata mais que a Sida e a Cocaína
O tabagismo mata mais que a soma das mortes por sida, uso de cocaína, heroína, álcool, suicídios e acidentes de viação, sendo por isso a principal causa de morte a nível mundial, referiu ontem, em Luanda, o secretário de Estado da Saúde, Eleutério Hivilikwa, citando a Organização Mundial da Saúde (OMS)

Ao falar na abertura do seminários obre o “Protocolo de Eliminação do Comércio Ilícito de Produtos de Tabaco em Angola”, Eleutério Hivilikwa disse que o tabaco causa enfermidades como o cancro, ataques cardíacos e respiratórios e do seu consumo derivam outras ramificações como o bloqueio do desenvolvimento e o aumento da pobreza.

O secretário de Estado frisou que pessoas mais necessitadas são as que mais fumam e levam a maior carga económica e sanitária que impõe o consumo de tabaco.

“O consumo de tabaco está acrescer rapidamente em países em desenvolvimento que são os que menos estão preparados para fazer frente as suas consequências”, sublinhou Eleutério Hivilikwa, que acrescentou que o comércio ilícito dos produtos de tabaco contribuem para propagar a epidemia do tabagismo, com grandes consequências para a saúde pública e exige resposta eficaz e adequada.

“O comércio ilícito do tabaco debilita de igual modo as políticas de preços e as medidas fiscais concebidas para reforçar o combate”, disse Eleutério Hivilikwa. O representante da OMS em Angola, Javier Aramburu, disse que à medida que cresce a acção internacional para o controlo do tabaco, a industria tabaqueira recorre a práticas proibidas por lei para aumentar as suas receitas.

O aumento do tráfico ilícito do tabaco é um desses métodos

Javier Aramburu encorajou as autoridades nacionais a adoptar e desenvolver iniciativas de ordem política,legislativa e administrativa que permitam identificar a origem dos produtos do tabaco, em conformidade com os regulamentos internacionais sobre esta matéria. O apelo para a adesão de Angola ao Protocolo contra o Trafico Ilícito do ­­tabaco e a consequente aplicação de taxas sobre os produtos do tabaco,enquadra-se igualmente na lógica destas medidas.

Segundo estatísticas da OMS,anualmente morrem em todo o mundo mais de cinco milhões de pessoas por usar em produtos do tabaco. Em África, estima-se que morrem aproximadamente 146 mil adultos, com 30 ou mais anos de idade, por doenças relacionadas com o tabaco.Estes números, referiu Javier Aramburu, fazem do tabaco um dos principais factores de risco evitáveis de doenças não transmissíveis, tais como as doenças cardiovasculares, o cancro, doenças pulmonares crónicas e diabetes.

Jornal de Angola

REAÇÕES

COMENTÁRIOS