Médicos aconselham à suspensão da menstruação
Segundo o ginecologista Rogério Bonassi Machado, a Febrasgo (Federação Brasileira das Associações de Ginecologia e Obstetrícia) não vê prejuízos orgânicos em suspender a menstruação.

No entanto, vale ressaltar que não existe a necessidade de bloqueá-la em todos os casos, cabendo à mulher e ao seu ginecologista de confiança a livre escolha, independente do critério utilizado para a decisão.

Para esclarecer as muitas dúvidas que rondam o processo de suspensão da menstruação, a fonte da Angola-Online, procurou ouvir também os ginecologistas Ângela Maggio da Fonseca, do Hospital das Clínicas da USP, Antônio Júlio Sales Barbosa, do Hospital Santa Catarina, e Rogério Bonassi Machado, ginecologista e presidente da comissão de anticoncepção da Febrasgo.

Qualquer mulher que se sente incomodada com a menstruação, de alguma forma, pode procurar o seu ginecologista e expor seu desejo. 

"Tem pacientes com menstruação muito desconfortável, que sangram muito, têm muita cólica (a chamada dismenorreia), TPM forte. Para elas, por que não? Minimiza muito esses desconfortos e sintomas", disse o especialista.

“Até mesmo quem acabou de ter filhos pode suspender a menstruação. Por causa da grande quantidade de progesterona, mulheres que estão amamentando ficam, naturalmente, com o seu período suspenso”, ressaltou.

 Afirmando ainda que “esse pode ser um dos períodos mais propícios para suspender a menstruação, já que a mulher, naturalmente, não menstrua nessa época”. Com uma pílula a base de progesterona, a mulher prolonga o período sem sangramento.

Questionados se a suspensão pode vir causar um problema no futuro, caso decidir ter filhos? Os especialistas respondem que “não”, dizendo que “o uso de métodos contraceptivos serve para, justamente, bloquear a ovulação. 

Isso acontece porque eles deixam o ovário em repouso, sem ovular, o que impede a gravidez. Assim, quando o método é suspenso, o ovário retorna a seu trabalho, que é ovular”.

Quando uma mulher usa algum método anticoncepcional por muito tempo, seu ovário fica um longo período em repouso. Para que ele volte ao normal, estima a dupla de especialistas, é necessário de dois a quatro meses.

Fonte: Saúde

REAÇÕES

COMENTÁRIOS