Licenciados continuam perdidos e agarrados a escravatura
O pensador africano e escritor Isidro Fortunato, alerta sobre a importância dos africanos encontrarem as suas identidades, e o diploma, licenciatura, doutoramento não representam libertação para África.

Para Isidro Fortunato, as universidades “não representam libertação para os Africanos que se encontram longe da sua cultura, que renegaram as suas raízes e as suas origens”. 

O pensador africano reforçou a sua afirmação dizendo: “Liberdade é estarmos conscientes da nossa cultura, da nossa ancestralidade, e então o diploma será apenas um entre os vários caminhos, para viabilizarmos a nossa civilização, dentro de um paradigma cultural ancestral”.

"Nem todo Africano licenciado venceu, a maioria continua perdido e a funcionar como uma engrenagem a perpetuação do sistema Euro-Caucasiano que teve sua matriz na escravatura e no colonialismo”, escreveu Isidro Fortunato na sua conta oficial do Facebook.

Evento: Esteja connosco no dia 5 de Maio na Mediateca de Luanda

REAÇÕES

COMENTÁRIOS