Quando percebi de quem se tratava, senti que necessitava homenageá-lo, mesmo que fosse de forma singela, Hamilton Naki nascido ao 26 de junho de 1926, numa pequena aldeia do estado de Cabo do Leste, na África do Sul, de nome Ngcingane. Com 14 anos de idade, de carona, foi a procura de trabalho na Cidade do Cabo, arranjando emprego de jardineiro na Universidade da Cidade do Cabo

Dr. Hamilton Naki - O que sabes sobre ele?

Dr. Hamilton Naki - O que sabes sobre ele?

Hamilton Naki foi um "grande cirurgião" e professor sul-africano sem nenhuma formação acadêmica ou diploma. 

Foi ele quem retirou do corpo da doadora o coração transplantado para o peito de Louis Washkanky em dezembro de 1967, na cidade do Cabo, na África do Sul, na primeira operação de transplante cardíaco humano bem-sucedida.

O transplante de coração é um trabalho delicadíssimo. O coração doado tem de ser retirado e preservado como máximo de cuidado. 

Naki era talvez o homem mais importante naquela equipa, chefiada pelo doutor Christiaan Barnard, realizando aquele que seria o primeiro transplante cardíaco da história, embora nunca pudesse trabalhar como médico de humanos pelas leis do Apartheid (por ser Negro).

Selecionado por Robert Goetz, da Faculdade de Medicina da Universidade da Cidade do Cabo, para trabalhar nos laboratórios da clínica, ajudou inicialmente cuidando dos animais cobaias do laboratório. 

Em uma determinada ocasião, Goetz lhe pediu para segurar uma girafa enquanto ele a operava. Para surpresa de Goetz, além dessa simples tarefa, Naki foi se envolvendo com maestria em outros procedimentos cirúrgicos mais complexos, incluindo suturas, analgesias e cuidados pós-operatórios.

Apesar da sua carência de estudos formais, sua técnica e capacidade foram reconhecidas, recebendo, assim, permissão especial para continuar suas pesquisas no laboratório.

Mesmo registrado nos documentos do hospital como trabalhador de limpeza e jardineiro, Naki, recebia salário de técnico de laboratório, o mais alto do hospital para alguém sem diploma.

Naki aposentou-se em 1991 como jardineiro. Com o fim do apartheid, recebeu, em 2002, como reconhecimento pelo seu trabalho, na Ordem Nacional de Mapungubwe. 

Em 2003 recebeu um diploma honorário em medicina pela Universidade da Cidade do Cabo. Aposentado, Naki, continuou trabalhando como cirurgião em um ônibus adaptado como clínica móvel.

Morreu em maio de 2005, aos 78 anos de idade. 

Naki foi um dos melhores cirurgiões da história do mundo, nunca desistiu mesmo sendo discriminado. Com o reconhecimento adquirido após o término do apartheid, Naki se tornou famoso mundialmente. 

Agora você já sabe quem foi esta pessoa excepcional.

Wikipedia

REAÇÕES

0
0
0
0
0
0
0
0

COMENTÁRIOS