Bonga não pensa em voltar a viver em Angola
José Adelino Barceló de Carvalho, de nome artístico Bonga, um nome incontornável da música popular angolana, revelou em entrevista à MFM, que não pensa em voltar a viver em Angola e, vai mais longe dizendo que “é mais fácil um belga, um francês ou um cubano ter fazendas no Bengo do que eu”.

Em entrevista acompanhada por Carlos Maneco, parceiro da Angola-Online, questionado sobre quando volta a viver em Angola de forma definitiva, Bonga responde que só regressa à Angola a trabalho.

Sendo natural de Bengo, Barceló de Carvalho, avança que não tem casa, muito menos fazenda, apenas possuí uma parcela de terra na zona do bairro Benfica, em Luanda, “mas fazendas ou casas no Bengo não tenho”. 

“Aliás é mais fácil um belga, um francês ou um cubano ter fazendas no Bengo do que eu. Apesar de os meus kotas os Carvalhos terem lá as suas chitacas. Mas eu não, não tenho!” afirmou. 

Com mais de 30 anos de carreira, Bonga conta com mais de 30 álbuns gravados, é considerado o embaixador da música angolana. Através da sua música, que retrata a vivência de Angola, a cultura e os musseques de Luanda, tem divulgado o país desde muito cedo. 

Vivendo em Portugal, Bonga Kwenda iniciou a sua carreira musical no bairro do Marçal, onde fundou o grupo “Kissueia”. Sempre caracterizado pelos seus ideais, a sua música incorpora, no íntimo, o estigma e a afirmação de uma filosofia cultural identitária.

Redacção

REAÇÕES

COMENTÁRIOS